quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

PROLÓGO

Kylie Jenner:

PROLÓGO

Quem, neste século XXI, procura acompanhar a evolução, de uma era impulsionada pela alta tecnologia que, a cada dia, traz novas surpresas inovadoras, terá mesmo de, cavalgar ao lado do passado e do presente, sendo contemporâneo do futuro.
Assim se posiciona Rangel Fraga, que se propõe protagonizar um mundo autobiográfico de alguém que, nasceu jornaleiro - agricultor.
Ter partido dessa condição, não é partir de uma civilização de castas, embora aquela seja redutora, até pelo nascimento em localidade pequena e muito limitada, culturalmente, onde todo o mundo vivia de uma agricultura atrasada e de sobrevivência.
“Terras pequenas, não fazem homens grandes”.
Sendo a cultura, tudo o que fica depois da escola, Rangel Fraga confessa que, no depois, os seus melhores professores foram analfabetos, de quem absorvia ensinamentos que, reteve para além de outros posteriores.
Ainda que se “trotando” a contemporâneidade do futuro, há a percepção de que esta cultura tradicional; herança passada de geração em geração, pode conter muito rumo à direcção desse futuro.

Daniel Costa


Sem comentários:

Enviar um comentário